sexta-feira, abril 29, 2011

quinta-feira, abril 28, 2011

"entre aspas"

"Por que é que o mar não se apaixona por uma lagoa?
Porque a gente nunca sabe de quem vai gostar."


(Ana e o mar - O Teatro Mágico)





quarta-feira, abril 27, 2011

Sem muitos detalhes

10.000 vezes que eu assista, são 10.000 vezes emocionada, arrepiada.




Tolice é:

Confiar e deixar que conheçam todas as tuas feridas. A partir desse momento, elas deixam de ser tuas, e passam a ser daqueles têm o poder de tocá-las.


(Camila Souza)




terça-feira, abril 26, 2011

"entre aspas"


"Vou fazer algo melhor do que ficar no computador. 1… 2… 3… Voltei. (a tv tá ruim, o livro tá chato, o homem tá burro e chocolate engorda)."


(Tati Bernardi)



segunda-feira, abril 25, 2011

domingo, abril 24, 2011

Onde?

Onde estão os meus medos? Voltem, não é prudente me deixar assim, tão à solta.


(Camila Souza)




"entre aspas"

"Agora estamos juntos: eu e eu!"


(Thercilia Souza)






Eu não vou me calar, se eu não colocar pra fora vira nó na garganta, e assim, só sai choro, e cá entre nós, eu não choro a toa. Leia, releia, certifique-se de que fez a interpretação correta, e ainda que não seja a correta, mas que tenha sido no mínimo coerente. Critique, pra mim também se possível. Repasse. Distorça. Copie. Elogie. Nada disso influenciará no que sou, mas tenta!
Geralmente, sou o que levo adiante, assim, estou sendo a minha família, a minha graduação e o meu crescimento profissional, e detalhes dessas palavras-chave, passam longe daqui.
Prefiro ser uma incógnita, que se representa com uma simples interrogação, que atrai a curiosidade alheia e que movimenta um globo de perguntas, cujas respostas só eu posso dar. Ser alvo de um jogo de dardos, talvez fique para outra vida. Talvez.


(Camila Souza)


sábado, abril 23, 2011

Dia fértil

Rápido. Caneca de guerra no criado mudo, camisa de frio, edredom sobre as pernas e notebook no colo que hoje eu estou fértil.


(Camila Souza)


Apenas amor, obrigada.


Filtro de amor, e fonte também, relevo o título de mal amada que alguns atribuem a quem optou por simplesmente, não relacionar-se. Não ter um relacionamento não me impede de amar, dar e receber tudo que o amor inclui. As cobranças, expectativas, frustrações e afins, que os relacionamentos trazem em sua cartilha de possibilidades, pelo menos no momento, não me atraem, assim, não me cabem.

(Camila Souza)


sexta-feira, abril 22, 2011

A perfeita personificação da Capitu que Machado de Assis desenhou com palavras


Felizmente, ainda lembro o que me encantou há dois ou três anos atrás; certas coisas, definitivamente, não cabem ao esquecimento. Assim, tenho que compartilhar um dos trechos mais lindos da minissérie "Capitu", baseada no livro "Dom Casmurro" de Machado de Assis, exibida pela Rede Globo.

Uma perfeição, desde o elenco, figurinos, cenários, até a trilha sonora. Guardo com carinho entre os livros favoritos, dentre eles o próprio "Dom Casmurro", o DVD duplo da minissérie, e sempre que posso, me deixo também encantar pelo fascínio vislumbrado por Machado de Assis.

Confesso, Capitu seria apenas mais uma personagem entre as tantas que marcam os livros que guardo na estante e na memória, se não fosse tal representação que a atribuiu o título de "incomparável".




quinta-feira, abril 21, 2011

Pedir licença, ou dar boas vindas?

Essa foi a minha maior preocupação ao decidir fazer a minha primeira postagem, decisão esta que custou fortes conflitos entre a minha acomodação, preguiça, displicência e o meu desejo de registrar, guardar e partilhar o que gosto, o que penso, o que sinto e o que me é lícito expor.

Enfim, sinta-se a vontade, e obrigada por também me deixar entrar.